Avançar para o conteúdo

História da gastronomia chinesa

  • por
  • Abril 8, 2022Abril 8, 2022

História da gastronomia chinesa, cozinha chinesa, fez parte de um post ambicioso em nosso blog, intitulado Gastronomia Chinesa, mas consideramos que valia a pena expandir isso e dar o devido destaque, por isso se tornou hoje um post totalmente independente.

História da gastronomia chinesa
  • Save
História da gastronomia chinesa

Gastronomia chinesa, O início da culinária chinesa remonta a 5.000 ou 6.000 anos aC; período em que a agricultura, a pesca e a caça eram os recursos básicos para a obtenção de alimentos. Os dados sobre a tradição culinária chinesa inicial são escassos, mas sabe-se que durante o Neolítico (última Idade da Pedra) cães, porcos e aves eram um ingrediente comum na dieta.

Dinastia Zhou

Os primeiros campos de arroz nesta região foram descobertos no rio Yangtze durante o 8º milênio aC; mas não foi até a dinastia Zhou que esse tipo de cereal se tornou um alimento básico nesse estilo culinário. Da mesma forma, trigo, milho, milheto e cevada foram ingredientes fundamentais que foram misturados com diferentes vegetais cortados em pequenos pedaços.

Naquela época, as pessoas consumiam comida com varas compridas feitas de madeira, ossos ou bambu e desde então a tradição de usar a madeira como talher se manteve. Considerando a quantidade de anos que os pauzinhos fazem parte da cultura , é compreensível o quão proficientes os chineses são com essa ferramenta.

Quanto à distribuição de alimentos na região, os governantes daquele século perceberam que poderiam satisfazer a população em geral com pratos simples à base de cereais; por isso, reservavam a carne e os ingredientes sazonais mais exóticos para os banquetes da corte.

Dinastia Han

No entanto, com o tempo as pessoas começaram a descobrir outras técnicas de preparo e os benefícios da combinação de alimentos; É assim que, durante a Dinastia Han, os habitantes da China já incorporaram carne seca e peixe nos cereais. É nesse período que começam os processos culinários, como fritar, cozinhar no vapor ou ensopados.

Deve-se notar que o desenvolvimento da culinária chinesa variou de acordo com o território; ao sul fica o Mar da China Meridional, então as pessoas nesta área tinham acesso ao peixe e podiam colocá-lo em seus pratos. Enquanto no norte desta região consumiam mais carne e sorgo.

Dinastia Tang

Mais tarde, a Dinastia Tang caracterizou-se por um significativo crescimento cultural e comercial, o que facilitou a adoção de novos costumes culinários, como o consumo de carne de porco, urso e corcova de camelo. No entanto, o estabelecimento do budismo também ocorreu neste período; uma religião que rejeita o sacrifício de animais para consumo. Foi assim que surgiu a necessidade de criar uma cozinha vegetariana, que tivesse o tofu como ingrediente principal que substituísse a carne.

A conexão entre a China e os países estrangeiros foi favorecida durante a Dinastia Qing. O intercâmbio comercial ocorrido neste período teve grande impacto na gastronomia chinesa, graças à introdução de hortaliças na região; tomate, batata e milho começaram a protagonizar novas receitas, variar o sabor dos pratos e conseguir combinações requintadas.

Especialistas dizem que havia dois eixos culinários nesse período: o pão e o arroz, embora os bolos (cozidos, ou de sopa) tivessem seu papel principal.

Bolo HU: É um pão achatado assado.

Bolos no vapor: pasta fermentada no vapor.

Bolos de sopa: Macarrão cozido na sopa.

É também neste período que são implementadas as três refeições diárias, sendo que duas eram utilizadas até aquele momento. Isso devido ao aumento da produção agrícola e à prosperidade que tornou a vida noturna algo normal, comum e atual. Havia restaurantes (oferta e demanda por eles) refinados e caros como de classe popular.

Dinastia Song

Grande número de cozinhas emergem; o uso de presunto, carne dongpo, shabu-shabu, bolinhos fritos, sashimi, etc. tornou-se massivo. Da mesma forma, muitas das técnicas culinárias complexas que conhecemos hoje foram desenvolvidas durante esta dinastia.

Dinastia Yuan

ocorre, envolvendo variantes, ingredientes e outros horizontes culturais. Chás, frutas, arroz, frituras, vinho, leite de cavalo, vinho de grãos, o yuanshi ou licor medicinal eram termos comuns à culinária.

Dinastia Ming 

A dinastia Ming criou muita prosperidade e diversidade cultural, sendo a gastronomia (gastronomia) um dos seus eixos principais. Ir comer começou a mudar de uma necessidade fisiológica para um prazer, para um entretenimento.

Em termos de tecnologia culinária, comumente falamos de ferver, cozinhar, fritar, assar, salgar, etc.

Datam desses tempos pratos como caranguejo recheado, fígado de dragão cozido no vapor, ensopado de peixe yinzi, frango frito, frango cozido, pato salgado, cordeiro cozido no vapor, etc.

Dinastia Qing

Após a unificação da China pelo qin, os elementos da sociedade feudal gradualmente se tornaram cada vez mais completos, e o estado unificado desempenhou um grande papel na promoção do desenvolvimento das forças produtivas, a vida alimentar das pessoas tornou-se cada vez mais rica e a tecnologia culinária desenvolvida mais distante.

O sinal mais óbvio é o uso de panelas de ferro e óleo vegetal na cozinha.

O ferro é mais resistente a altas temperaturas do que o bronze, a transferência de calor é mais rápida, o bronze é principalmente mais desajeitado, a parede externa é muito espessa, a transferência de calor relativa é lenta e o ferro é muito mais leve, juntamente com o comércio de matérias-primas de fundição de ferro, ferro logo se popularizou, e a faca e a pá de ferro são mais finas e afiadas, o que facilita muito o corte da matéria-prima.

A fonte de óleo vegetal é mais segura, os pratos ficam mais deliciosos com a adição de óleo, e o óleo faz com que muitos dos métodos originais de cozimento únicos derivem ramos para enriquecer as técnicas de cozimento.

Segundo as estatísticas, os métodos de cozimento que aparecem na concentração dos pontos no momento são o método pró-porco, o método vegetariano e o método da alface.

Muito luxo é dado na comida e bebida das classes ricas; havia centenas de receitas de carnes quentes e frias (pássaros, mamíferos, peixes, etc.)

Leia também: Arroz frito chinês

Fontes externas: História da gastronomia chinesa

Sohu.com; Zuanlan

Esta entrada también está disponible en: Deutsch (Alemão) Español (Espanhol) Français (Francês) Nederlands (Holandês) English (Inglês) Italiano Melayu (Malaio) Polski (Polonês) Português Română (Romeno) Svenska (Sueco)

Share via
Copy link
Powered by Social Snap