Gastronomia chinesa

  • por

Gastronomia chinesa: De todos os estilos culinários que existem no mundo, a gastronomia chinesa é uma das mais antigas. Os ingredientes e métodos de preparação utilizados nesta cozinha procuram o equilíbrio harmonioso de todos os sabores e cores num único prato.

Satisfazer a fome não é suficiente na gastronomia chinesa; os chefs especializados nesta modalidade, aprendem a combinar diferentes alimentos que podem proporcionar felicidade a cada mordida. Da mesma forma, esta versatilidade de ingredientes garante pratos saudáveis, completos e nutritivos. A expansão da comida chinesa em todos os continentes tem sido importante por muitos anos, então todos nós em algum momento tivemos a oportunidade de experimentar algumas de suas especialidades.

Porém, para todos os amantes desta comida, será interessante conhecer um pouco mais desta deliciosa variedade gastronómica.

História

O início da gastronomia chinesa remonta a 5.000 ou 6.000 anos aC; período em que a agricultura, a pesca e a caça eram os recursos básicos para a obtenção de alimentos. Os dados da antiga tradição culinária chinesa são escassos, mas sabe-se que durante o Neolítico (último período da Idade da Pedra) o cão, o porco e as aves constituíam um ingrediente habitual da dieta.

Os primeiros campos de arroz nesta região foram descobertos no rio Yangtze durante o 8º milênio AC; Mas foi só na Dinastia Zhou que esse tipo de cereal se tornou um item básico desse estilo culinário. Da mesma forma, trigo, milho, painço e cevada eram ingredientes fundamentais que se misturavam com diferentes vegetais cortados em pequenos pedaços.

Naquela época as pessoas consumiam alimentos com longos palitos de madeira, ossos ou bambu e desde então a tradição de usar a madeira como talheres se manteve. Devido ao número de anos que os pauzinhos fazem parte da cultura da China, o nível de destreza que seus habitantes têm com esta ferramenta é compreensível.

Quanto à distribuição de alimentos na região, os governantes daquele século perceberam que podiam satisfazer a população em geral com pratos simples à base de cereais; portanto, eles reservaram as carnes e os ingredientes mais exóticos da estação para os banquetes da corte.

No entanto, com o tempo, as pessoas começaram a descobrir outras técnicas de preparação e os benefícios da combinação de alimentos; É assim que, durante a Dinastia Han, os habitantes da China já incorporavam carne seca e peixe aos cereais. É neste período que se iniciam os processos culinários como fritura, cozimento no vapor ou ensopados.

Deve-se destacar que o desenvolvimento da gastronomia chinesa variou de acordo com o território; ao sul fica o Mar da China Meridional, portanto as pessoas desta área tiveram acesso aos peixes e puderam introduzi-los em seus pratos. Já no norte desta região consumiram maior quantidade de carne e sorgo.

Posteriormente, a Dinastia Tang foi caracterizada por um importante crescimento cultural e comercial, o que facilitou a adoção de novos costumes culinários como o consumo de carne de porco, urso e corcova de camelo. No entanto, o estabelecimento do budismo também ocorreu neste período; uma religião que rejeitava o sacrifício de animais para consumo. Daí surgiu a necessidade de se criar uma culinária vegetariana, que tinha o tofu como principal ingrediente para substituir a carne.

A conexão entre a China e países estrangeiros foi favorecida durante a Dinastia Qing. O intercâmbio comercial ocorrido neste período teve um grande impacto na gastronomia chinesa, graças à introdução de vegetais na região; tomates, batatas e milho começaram a estrelar novas receitas, variar o sabor dos pratos e alcançar combinações primorosas.

Gastronomia chinesa antiga

Com base no percurso que fizemos pela história da gastronomia chinesa, podemos constatar que desde a antiguidade se utilizam ingredientes que ainda são considerados básicos neste estilo: cereais e vegetais. Por isso, o valor cultural e histórico que tem sido atribuído à comida chinesa é importante e reconhecido internacionalmente. Desde os tempos dos imperadores, os cozinheiros chineses determinavam as melhores estratégias para transformar animais exóticos em pratos deliciosos, fáceis de comer e saborear.

Além disso, eles conseguiram preservar seu estilo por séculos e estendê-lo a outros continentes; até mesmo muitos países criaram suas próprias adaptações da comida chinesa e incorporaram-na à sua gastronomia. Portanto, seria correto falar da gastronomia chinesa como uma técnica culinária contemporânea? Não, já que sua essência vem de tempos muito antigos; na verdade, os ingredientes e procedimentos usados ​​na culinária tradicional chinesa sofreram poucas modificações ao longo dos anos.

Lucros

Durante anos, os especialistas estudaram o efeito da comida chinesa no corpo. Os pratos chineses podem realmente trazer benefícios à nossa dieta? Sim, e o principal motivo está associado às porções de comida que são servidas nesta modalidade.

A gastronomia chinesa tem pratos muito variados; Eles têm todos os tipos de nutrientes que devemos consumir todos os dias, mas as quantidades dos diferentes alimentos não são exageradas. Esta funcionalidade permite que os consumidores fiquem satisfeitos, sem ultrapassar os limites a cada refeição.

Outro fator chave neste estilo de comida é o uso de pauzinhos para comer; na verdade, é outra razão pela qual os chineses mantêm um índice de gordura corporal baixo. A explicação é muito simples, estes utensílios recolhem porções muito pequenas de comida, o que nos permite mastigar mais devagar e a comida ser digerida de forma mais eficaz.

Para todos aqueles que são intolerantes à lactose, este estilo de cozinhar pode se tornar sua dieta para toda a vida. O uso de leite ou seus derivados não é comum na gastronomia chinesa, o que também representa uma vantagem para quem está de dieta ou precisa manter o colesterol baixo.

Tradicional

Se eles dissessem que a comida chinesa que você prova em seu país realmente não é, você acreditaria? Esse estilo culinário se popularizou em todo o mundo, mas é justamente essa expansão que gerou alterações nas receitas originais. Portanto, se é possível que o que você tem comido todo esse tempo, não seja um prato tradicional da gastronomia chinesa.

Com a chegada de imigrantes chineses principalmente ao continente americano, os nativos desta região começaram a usar suas técnicas culinárias; mas eles incorporaram os ingredientes que tinham em mãos e gradualmente criaram suas próprias versões de comida “chinesa”.

No entanto, a comida típica e original chinesa divide-se em 8 tradições culinárias, cada uma das quais com características e estilos diferentes.

Essas divisões são chamadas de regiões e são as seguintes:

  1. Gastronomia cantonesa ou yue
  2. Gastronomia Sichuan ou Chuan
  3. Gastronomia Jiangsu ou Su
  4. Gastronomia Hunan ou Xiang
  5. Gastronomia de Zhejiang ou Zhe
  6. Gastronomia de Anhui ou Hui
  7. Gastronomia Fujian ou Min
  8. Gastronomia Shandong ou Lu

Caracteristicas

Provar a grande variedade de pratos que fazem parte da culinária chinesa nos levaria muitos anos; É um estilo culinário muito extenso que exige um certo nível de conhecimento cultural. Embora reconheçamos a comida chinesa por suas cores vivas e sabor intenso, identificar de qual região ela vem é uma tarefa mais complicada.

A China está dividida em muitas regiões, das quais as mais relevantes em termos de gastronomia são as três seguintes: Guangdong, Sichuan e Shandong. Cada região expressa sua essência utilizando ingredientes específicos em suas preparações; No entanto, todos eles contêm elementos comuns da gastronomia chinesa que não podem faltar.

Características gastronômicas da região de Guangdong

Esta região localizada no sul da China, tem a vantagem de estar em contato com o mar e aproveitar as espécies que habitam suas águas; Por este motivo, é muito comum que peixes e mariscos sejam utilizados em pratos deste estilo.

Outro aspecto que caracteriza a alimentação dessa região é a utilização de alimentos frescos e levemente condimentados. Preserve o sabor original dos ingredientes o melhor possível. Além disso, ao contrário de outras províncias da China, o uso de molhos ou condimentos picantes não é comum em Guangdong.

Características gastronômicas da região de Sichuan

Os ingredientes comumente usados ​​nesta região são pimenta, gengibre, pimenta e algumas ervas; sabores fortes e picantes sem dúvida que vão dar um carácter quente e intenso aos pratos. Mas isso não é tudo, a gastronomia de Sichuan também pode oferecer pratos doces, aromáticos, amargos, azedos e salgados; A chave para obter resultados excelentes é usar a quantidade certa de especiarias e adicioná-las aos ingredientes na hora certa.

Características gastronômicas da região de Shandong

Por ser uma região costeira; o uso de crustáceos, pepinos do mar, lulas e peixes é comum nesta cozinha. No entanto, as espécies marinhas não são os únicos ingredientes, Shandong também se caracteriza pelo grande consumo de trigo e milho para o preparo de pães, panquecas e jiaozi. Em termos de métodos de cozimento, nesta região destaca-se a técnica de fritar, refogar e fritar.

Pratos típicos

  • Sol fraco: este prato de origem cantonesa é uma espécie de sanduíche que engloba muitos sabores e texturas. Em geral, é uma tortilha de arroz, trigo ou tapioca; Esta pequena massa pode ser recheada com carne, vegetais ou peixe. Dependendo do tipo de recheio usado e do modo de cozimento, será uma variedade Dim sun específica.
  • Chow mein: este prato típico da gastronomia chinesa costuma ser o preferido de muitas pessoas, devido à sua versatilidade e sabor intenso. Consiste em macarrão frito salteado com legumes, carne ou frango; aromatizado com vários temperos e ervas aromáticas.
  • Zongzi: é uma receita muito importante da cultura chinesa, pois faz parte dos banquetes do Festival do Barco do Dragão; entretanto, em outras regiões não é muito popular devido à dificuldade de preparo. Para fazer isso, o arroz deve ser fervido ou cozido no vapor, em seguida moldado em um triângulo, colocado em algum recheio e embrulhado com folhas de bambu.
  • Jiaozi: é uma espécie de patty com uma massa muito fina, semelhante ao ravióli italiano. Podem ser recheados com algum tipo de carne ou vegetais e para os cozinhar podem ser fervidos ou fritos. Se você visitar a China no Ano Novo, vai perceber a importância que eles dão a este prato nessas datas, pois o relacionam com a boa sorte.

Xian

Xian é a capital da província chinesa de Shaanxi; uma cidade que foi o epicentro de muitos acontecimentos políticos da história da China, por ter sido a capital de várias dinastias imperiais. Além disso, há algumas décadas os Guerreiros de Terracota foram descobertos nessas terras, o que fez de Xian um importante centro turístico.

Mas a relevância cultural e histórica desta cidade não é tudo, a sua gastronomia é outro fator que a diferencia das demais províncias da China. Um dos pratos locais mais vendidos para os nativos e turistas de Xian é o Paomo de Ram; É uma sopa de carne de borrego com pão aromatizada com gengibre, erva-doce, erva-doce, chalota e outras especiarias que lhe conferem um sabor único.

Não podemos deixar de falar do Roujiamo, uma receita Xian muito representativa que está presente em todas as casas e restaurantes desta cidade. É composto por dois pães ou bolos recheados com carne de porco, vaca ou Baiji que têm uma aparência muito semelhante aos sanduíches de carne ou às arepas de trigo recheadas.

Ingressos

A entrada é a refeição que antecede o prato principal; prepare os comensais para consumir o prato principal. O ideal é que, neste momento, os pratos sejam servidos com uma porção pequena e leve, de fácil digestão. Na culinária chinesa, woks de frango ou vegetais, sopas, bolinhos de peixe chineses ou Jiaozi são comumente servidos como entrada.

Baozi é outro tipo de prato que funciona como entrada; São bolinhas de massa recheadas com carne picada ou verduras, de preferência cozidas no vapor. Seu formato lembra uma cebola pequena e, além de ser usada como entrada, os chineses costumam consumi-la no café da manhã.

É saudável

Se um prato chinês é saudável ou não, depende dos ingredientes que contém e da forma como é preparado. Os alimentos que têm uma proporção maior de vegetais e são cozidos no vapor ou fervidos, obviamente serão considerados saudáveis. Mas não podemos ignorar o fato de que algumas tradições gastronômicas chinesas abusam de molhos, temperos e sal; em outros casos, o óleo pode ser o protagonista, para fritar ou refogar o maior número de ingredientes.

Portanto, consumir esses estilos culinários em excesso pode levar a problemas de saúde como obesidade ou problemas de colesterol.

Gastronomia chinesa é saudável
  • Save
Gastronomia chinesa é saudável

Comida chinesa deixa você gordo

Na culinária chinesa abundam os alimentos cozidos ou no vapor, com baixo teor calórico. Mas também há um grande número de pratos e molhos com alto teor de gordura; como exemplo temos frango ou porco agridoce, arroz frito chinês ou rolinhos de ovo.

Os pratos citados possuem um alto percentual de calorias devido aos ingredientes que contêm e à forma de cozimento, portanto seu consumo regular pode favorecer o ganho de peso ou problemas cardiovasculares.

Tem glúten

O glúten está presente no trigo, que é uma parte importante da culinária chinesa; o macarrão, pães e tortilhas usados ​​em alguns pratos chineses contêm glúten. No entanto, isso não significa que pessoas com doença celíaca ou intolerância ao glúten não possam consumir comida chinesa, pois também existem receitas que não contêm esse composto.

O arroz é sem glúten, um dos principais alimentos de muitos pratos desta gastronomia; Se consumir cozido no vapor ou fervido, acompanhado de verduras ou algum tipo de carne, poderá degustar um delicioso prato oriental sem prejudicar a saúde.

É rato

A culinária chinesa tem vários pratos exóticos que podem causar muita polêmica no Ocidente; sopa de cobra ou de barbatana de tubarão são alguns dos casos, mas sem dúvida o alimento que mais gera polêmica é o rato frito.

É verdade que no Ocidente esse animal sempre foi relacionado à sujeira, mas na China é considerado mais um alimento proteico, como frango ou cordeiro. Nesse e em outros países asiáticos, esses roedores são capturados ou criados e, em seguida, fritos na maioria dos casos. No entanto, só é utilizado em casos específicos, nem todos os pratos chineses contêm esta carne.

Leia também: Ano Novo Chinês ; Gastronomia asiática

Esta entrada también está disponible en: Español (Espanhol) English (Inglês) Deutsch (Alemão) Français (Francês) Magyar (Húngaro) Nederlands (Holandês) Italiano (Italiano) Română (Romeno) Português Melayu (Malaio)