O que é gastronomia?

  • por

O que é gastronomia? O estudo da cultura e da alimentação de uma localidade está intimamente relacionado à gastronomia, principalmente quando o assunto é comida gourmet. A ideia de relacionar a comida com a ciência, as artes e a sociedade existe há muito tempo.

A verdadeira gastronomia é uma arte multidisciplinar altamente exigente que frequentemente examina os alimentos em seu contexto, história, frescor e apresentação.

Um dos princípios da gastronomia é mostrar que a comida, além de uma ciência, é uma arte. Pois entende como os sentidos contribuem para uma experiência.

Por exemplo, um gourmet entende perfeitamente o que acontece quando um consumidor afirma que não gosta ou não aprecia determinado alimento.

Da mesma forma, a gastronomia examina o que o aspecto sociológico da comida implica, junto com a integração de outras disciplinas das ciências sociais, como psicologia, filosofia e antropologia.

Nas artes plásticas, o papel da comida também é frequentemente examinado, seja para as artes cênicas, escultura, pintura como parte de um olhar atento sobre a função da comida na sociedade em geral.

Gastronomia molecular

Este tipo de gastronomia é um ramo da ciência alimentar que se baseia nos processos químicos e físicos que se criam durante o cozimento.

Essas interações e processos são manipulados e explorados com o objetivo de produzir resultados artísticos, saborosos e funcionais. Essas técnicas de gastronomia molecular são geralmente praticadas por meio de experimentos caseiros, bem como em alguns restaurantes.

Como funciona a gastronomia molecular?

Essa gastronomia funciona devido às interações de diferentes ingredientes que conseguem causar diferentes efeitos. Cada receita conterá mecanismos biológicos, químicos e físicos subjacentes que farão um prato ficar do jeito que você realmente deseja.

Um exemplo comum é: um suflê estufado em vez de virar uma panqueca por causa das proteínas que compõem a clara do ovo. Quando essas claras são sacudidas, formam-se pequenas bolhas de ar que, quando aquecidas, se expandem.

Combinar o calor e o conjunto das proteínas do ovo, bem como as bolhas de ar, é o que causa uma baforada.

O que é gastronomia, significado, conceito, definição
  • Save
O que é gastronomia, significado, conceito, definição

Gastronomia sustentável

Às vezes, a arte da comida é chamada de gastronomia. Também se refere a um estilo de cozinha de uma determinada localidade.

No que se refere à sustentabilidade, é a ideia de que a pesca, a agricultura ou o preparo de alimentos são realizados de forma que não desperdicem os recursos naturais e possam continuar no futuro, sem agredir o meio ambiente e a saúde das pessoas.

Por isso, gastronomia sustentável é sinônimo de uma culinária que leva em conta o processo pelo qual a comida passa (origem, cultivo, seu processo até chegar aos mercados ou estabelecimentos e, finalmente, até os pratos).

É importante notar que a ONU declarou todo o dia 18 de junho como o Dia da Gastronomia Sustentável. Foi em 2016 que a Assembleia Geral desta organização tomou esta decisão para observância internacional.

O objetivo desta denominação é que muito mais indústrias gastronômicas e até mesmo pessoas comecem a celebrar os ingredientes, além de que os produtores sazonais, trabalham para preservar as tradições culinárias e se preocupam com a preservação do meio ambiente.

Entidades como a Organização para a Alimentação e Agricultura das Nações Unidas e a UNESCO estão facilitando conjuntamente este projeto de sustentabilidade.

Algumas iniciativas hoje incluem movimentos massivos de conscientização pública, diversificação de safras, energia limpa, sempre que possível.

Importância da gastronomia sustentável

Entre as características mais importantes da gastronomia sustentável está o fato de que cada cultura se destaca, que tem um papel protagonista como facilitadora fundamental do crescimento econômico, da mudança social e do desenvolvimento sustentável.

Como indivíduo, você pode estar muito mais interessado na qualidade, produção, origem e compra de alimentos. A sustentabilidade alimentar começa com a semente que se espalha por todos os elos envolvidos no setor, até chegar ao usuário final.

Como consumidor, você pode solicitar alimentos locais que podem ser rastreados e reduzir o desperdício de alimentos tanto quanto possível.

Alguns fatos mostram que um terço dos alimentos produzidos no mundo é desperdiçado e mais de 800 milhões de pessoas em todo o mundo vão para a cama sem comer nada. Espera-se que esta situação de crise de saúde global aumente a cada dia.

Gastronomia popular

A gastronomia popular é entendida como a cozinha que as pessoas costumam preparar, a que se cozinha nas casas. Ou seja, a cozinha tradicional, embora se trate de outro assunto, é aquela gastronomia que se baseia num conjunto de receitas aglomeradas ao longo dos anos e séculos de cozinha popular.

Gastronomia mexicana

A gastronomia mexicana é mundialmente conhecida, pois muitos paladares experimentaram e se deliciaram com seus maravilhosos pratos. Não são apenas o sabor e a cor das ervas e especiarias que dão aquele toque final à comida mexicana, mas a forma como os suculentos pratos são preparados para torná-los dignos da culinária mexicana.

História da Gastronomia Mexicana

A origem desses alimentos remonta aos tempos pré-hispânicos, onde o principal ingrediente a ser utilizado era o milho, nopales, cacau, abacate, tomate, feijão, pimentão, entre muitos outros.

Por outro lado, a chegada dos espanhóis causou uma miscigenação na gastronomia deste país, devido à introdução de novos ingredientes como açúcares, frutas, especiarias, cereais que aos poucos foram enriquecendo os pratos que hoje conhecemos.

Graças a esta fusão nasceram os pratos que hoje são protagonistas no México e são de grande renome e fama mundial na gastronomia mexicana, onde mole, chiles en nogada, tacos, carnitas, cochinita pibil, entre outros.

Pratos típicos mexicanos

Muitos dos pratos típicos deste país foram declarados Patrimônio Imaterial da Humanidade, graças à sua grande variedade de sabores, a seguir mostraremos uma lista de pratos que hoje orgulham o povo mexicano.

Toupeira: este prato é considerado um dos mais exóticos do país, é uma criação Puebla, a principal característica deste alimento é que possui vários tipos de pimenta, sementes, especiarias, estas últimas são moídas em pilões de pedra.

Esta preparação complementa um prato que inclui carne, a toupeira é um molho que o acompanha. Este molho é reconhecido mundialmente pelos seus ingredientes e preparo espetaculares, o que o torna uma tradição admirável. Para dar um toque adocicado a esta preparação, um pouco de cacau é o ideal.

Pozole: é um prato suculento à base de caldo. Foi criado pela primeira vez em Cuernavaca, com um ingrediente principal como o milho e é adicionado um tipo de carne que vai acompanhar o caldo, dependendo da região onde é preparado, pode ser bovino, frango ou porco.

O preparo desse prato consiste em cozinhar o cacahuacintle (milho de grão grosso), depois acrescenta-se a carne, além de temperos ricos que o complementam e lhe dão aquele toque delicioso como: alface, rabanete, abacate e pimenta malagueta que não pode faltar.

Enchiladas: em qualquer lugar do planeta, as enchiladas são um prato conhecido em todo o mundo. É procedente de San Luis de Potosí e é feito com as famosas tortilhas de milho, recheadas com frango, boi, porco e queijo.

Adiciona-se também um molho à base de diferentes tipos de pimentas que incorporam feijão e cream cheese, que também é acompanhado com abacate, alface ou cebola.

Os tipos de enchiladas são diferentes e muito variados e tudo vai depender do tipo de molho que se coloca sobre ela, mas o sabor é definitivamente fantástico.

Chiles en nogada: este prato primoroso vem de Puebla, as freiras agostinianas do Convento de Santa Mónica foram as criadoras deste prato para celebrar a Independência do México.

Este delicioso prato possui cores vivas em sua apresentação, que o tornam um alimento fundamental deste país. Trata-se de uma pimenta poblano recheada com carne de porco ou vaca acompanhada de frutas, enquanto é coberta com um molho de nozes. Quando servido, é decorado com romã e salsa, que representam a bandeira mexicana.

Em suma, o México se orgulha de suas raízes gastronômicas herdadas de seus ancestrais. Com estes pratos, qualquer paladar se enriquece com os sabores deste belo país e sem dúvida, assim o mundo sabe que se trata do México.

Gastronomia venezuelana

Outra gastronomia excelente e muito apreciada é a venezuelana, onde se mistura um conjunto de refeições onde o sabor e a riqueza deleitam o paladar de todas as pessoas que a experimentam.

As práticas com os diferentes alimentos existentes na Venezuela, conseguem revelar as características de cada zona, lugar ou região e constituem valores, costumes, usos e tradições dos povos.

Todos esses aspectos contribuem para a preservação da identidade de cada cidade e município, além de minimizar a padronização da cultura.

A gastronomia típica da Venezuela inclui banana frita, arroz e carne, que costuma ser substituída por frutos do mar e peixes na parte oriental do país.

A essência deste alimento está nos cereais (feijão, lentilha, milho); em tubérculos como mandioca ou batata, bem como em guisados ​​de banana e carne.

Pratos típicos da gastronomia venezuelana

Arepas: trata-se de pão para os venezuelanos. As arepas são feitas de milho e podem ser recheadas com qualquer tipo de carne, seja frango, boi, porco, também com ovos mexidos, fiambre, queijo, polvo, frutos do mar, é uma grande variedade para todos os gostos.

Empanadas: é uma comida típica do leste da Venezuela, também são feitas com farinha de milho, mas fritas e com um leve toque adocicado. São recheados com peixes desfiados, carnes, frango, pavilhão, presunto e queijo, entre outros recheios.

Pavilhão Crioulo: considerado o prato típico da Venezuela por excelência e é composto por carne desfiada, arroz branco, feijão ou feijão preto e banana frita.

Cachapas: é uma tortilla semelhante a uma panqueca de milho doce de dois cm de espessura que pode ser comida com manteiga e diferentes tipos de queijo, em alguns lugares da Venezuela costuma ser acompanhada com carne de porco frita.

Hallaca: este prato típico é tradicional nas festas de Natal, é feito com uma massa de milho, sobre folhas de bananeira, que é esticada até formar um bolo fino, em cima é colocada uma quantidade de carnes cozidas tipo caldeirada que inclui porco, boi e frango ou galinha; junto com passas, azeitonas, alcaparras, picles e tiras de cebola e páprica.

Em seguida, esse ensopado e a massa são embrulhados dobrando-se as folhas como um envelope, amarrado e colocado em água fervente por uma hora.

Quesillo: é uma sobremesa tradicional à base de ovos, leite condensado, leite integral, baunilha, um toque de rum e xarope de caramelo, onde todos estes ingredientes se misturam e se cozinham e acaba por ser uma espécie de iguaria coalhada.

A maioria desses pratos vem acompanhada de sucos de frutas (manga, laranja, mamão, maracujá, melão, limão, abacaxi ou goiaba). Outra bebida típica da Venezuela é o papelón com limão ou o suco de cana com limão.

Outro alimento que não pode ficar de fora da gastronomia venezuelana é o cacau, conhecido mundialmente por seu excelente aroma e sabor. O mais produzido naquele país é o Teobroma Crioulo, muito utilizado para fazer chocolates da mais alta qualidade.

Gastronomia maia

Desta vez falaremos sobre a gastronomia maia, que pode ser degustada em alguns pontos turísticos da Riviera Maia. Em quase todos eles, o sabor maia original foi adaptado aos gostos atuais, embora os ingredientes que foram apreciados em suas origens ainda sejam usados.

Alguns dos alimentos a seguir são os principais protagonistas desses pratos (carne, milho e pimenta), que costumam ser os mais predominantes nos pratos gastronômicos maias que são oferecidos aos visitantes.

Parte das carnes utilizadas na confecção das refeições provêm de iguanas, tartarugas e pássaros. Posteriormente, foram incorporados animais trazidos pelos espanhóis, como porcos.

Quanto às hortaliças e sementes, vieram de lavouras existentes na região, como pimentão, milho, chocolate, enquanto o arroz foi introduzido pelos espanhóis.

A gastronomia maia tem se caracterizado pelo uso de ingredientes indígenas, ao contrário de outras regiões do México. O milho é a base principal de muitos pratos e com este ingrediente são feitos quase todos os elementos desta refeição.

É muito utilizado em tortilhas, misturado com chocolate e carnes. Um cardápio maia pode ser composto por alguns petiscos como: Dzotobichay, que é uma omelete com sementes de abóbora e folhas de bananeira ou tamales derretidos.

Quanto às entradas, costumam ser sopas, como lima Yucatecan, ovos Motuleño, flor de abobrinha, milho, abacate e coco, entre outros.

Agora é a vez da carne, na gastronomia maia costumam ser usados ​​animais típicos da região e muitos outros animais criados na Riviera Maia. Um exemplo disso são os perus, que quando viviam na região eram amplamente consumidos e em alguns casos, domesticado.

Frutos do mar e peixes também são imprescindíveis, já que é uma localidade litorânea e sempre teve tradição marítima. O preparo de pratos à base de frutos do mar e peixes é uma tradição que faz parte da culinária maia.

As sobremesas não podem faltar nesta cozinha e o ingrediente fundamental é o chocolate, assim como uma grande variedade de frutas que se cultivam na zona. Um elemento fundamental para a elaboração do Xtabentún é o milho, um delicioso licor típico que se toma no final de cada refeição.

Gastronomia típica

Na gastronomia, o uso de ingredientes alimentares específicos e métodos de preparação de alimentos têm sido transmitidos de geração em geração, esses alimentos são muitas vezes chamados de tradicionais ou típicos.

Esses alimentos típicos desempenharam um papel importante nas tradições e costumes de diferentes regiões e culturas por milhares de anos, incluindo alimentos consumidos local e regionalmente por muito tempo.

Os métodos típicos de preparação de alimentos fazem parte do folclore de uma região ou país.

É por isso que a gastronomia típica é um alimento feito com características que o distinguem claramente de outros produtos similares da mesma categoria em termos da utilização de ingredientes típicos ou composição tradicional, ou método de processamento.

Com o tempo, os alimentos típicos foram influenciados por vários fatores. Um é a disponibilidade de matérias-primas. Portanto, a gastronomia típica é influenciada pelos hábitos agrícolas e pela localização.

Um exemplo muito particular é que as regiões com menor altitude têm uma vegetação diferente das áreas com maior altitude; Países que não têm acesso ao mar têm menor possibilidade de peixes e crustáceos do que outros que possuem zona costeira.

Os alimentos típicos foram desenvolvidos há muito tempo e a maioria deles está incluída na dieta saudável diária das pessoas, enquanto outros alimentos não atendem às necessidades nutricionais por serem muito ricos em gordura ou energia.

É por isso que hoje muitos desses alimentos típicos estão sendo modificados na composição dos nutrientes, para torná-los mais adequados para este século.

Por exemplo, a dieta mediterrânea, que tem se mostrado muito benéfica para a saúde, pode servir de modelo na modificação de composições menos favoráveis ​​de algumas cozinhas típicas, incentivando o uso de ingredientes locais.

Características que se destacam na gastronomia típica

Os alimentos com que costumam ser preparadas as refeições na gastronomia típica são muito fáceis de encontrar, são também muito nutritivos e baratos. Mas algo pelo que se pode identificar a gastronomia típica do resto, é que se baseia nas seguintes características:

Cozinha de reflexão sociocultural: é a característica mais importante da gastronomia típica. Isso surge como resultado de produtos provenientes da terra de uma determinada área.

Com base nas necessidades das pessoas, (influenciadas pela área onde vivem e os alimentos que possuem, ou seja, produtos sazonais).

As pessoas têm desenvolvido diferentes formas de cozinhar um mesmo produto, desta forma surge o popular livro de receitas que identifica diferentes lugares dentro de um mesmo país ou região.

Essas receitas vão passar de geração em geração até chegar aos dias atuais.

Cozinha básica: a gastronomia típica é conhecida como uma cozinha simples, que tem como essência produtos clássicos e técnicas de longa data. A comida no fogo e os ensopados conseguem extrair todos os sabores naturais da comida.

Foram cozinhados em fogo baixo durante horas e por isso a gastronomia típica constitui a base sobre a qual surgem outros tipos de cozinha, como a cozinha de vanguarda; Como acontece em qualquer fase da vida, é preciso evoluir e da mesma forma que acontece na gastronomia típica.

Cozinha de aproveitamento: no passado nossos ancestrais não possuíam eletrodomésticos e tecnologia que atualmente ajuda a manter os alimentos muito mais frescos.

Por isso, uma das características da gastronomia típica mais representativa é a utilização dos produtos. O mesmo produto pode ser conservado antes de ser jogado fora, com o mesmo alimento podem ser preparadas várias receitas, a imaginação neste caso é fundamental para nem sempre comer a mesma coisa.

Leia também: Gastronomia chinesa ; Gastronomia asiática

Esta entrada también está disponible en: Español (Espanhol) English (Inglês) Deutsch (Alemão) Français (Francês) Magyar (Húngaro) Nederlands (Holandês) Italiano (Italiano) Română (Romeno) Português

Etiquetas: