Avançar para o conteúdo

Astrologia na antiga Mesopotâmia

  • por

Astrologia na antiga Mesopotâmia: Como a astrologia era usada na Mesopotâmia? Os mesopotâmios inventaram o zodíaco? A temperatura e a geologia da Mesopotâmia, no sudoeste da Ásia, ao redor dos rios Tigre e Eufrates, foram ideais para o surgimento da civilização humana.

A história do mundo foi profundamente influenciada por invenções como o conceito de tempo, aritmética, roda, veleiros, mapas e escrita, para citar alguns exemplos.

Ao longo de milhares de anos, a Mesopotâmia foi caracterizada por uma sucessão de órgãos governamentais de diversas áreas e cidades que chegaram ao poder e consolidaram seu controle sobre os recursos da região. A Mesopotâmia foi o primeiro lugar onde cinco planetas foram descobertos e investigados, assim como outros fenômenos celestes, como estrelas e luas.

A literatura e a iconografia mesopotâmica da Lua e dos planetas incluem componentes astronômicos, astrológicos e religiosos, bem como símbolos astronômicos e astrológicos. O termo “ciência astral” refere-se à interação intelectual da Mesopotâmia com ocorrências celestes, que incluem adivinhação e astrologia, entre outras coisas.

A pesquisa moderna sobre a ciência astral mesopotâmica começou na década de 1870, quando grandes volumes de tabuletas de argila de Nínive, Babilônia e outros locais no que hoje é o Iraque chegaram aos Estados Unidos a partir de suas localizações originais na Mesopotâmia.

Há uma ênfase crescente no estudo moderno na compreensão do significado da ciência astral na cultura mesopotâmica, bem como um esforço para restaurar as bases intelectuais em que foi fundada.

Astrologia na antiga Mesopotâmia: Como a astrologia era usada na Mesopotâmia? Os mesopotâmios inventaram o zodíaco?
  • Save
Astrologia na antiga Mesopotâmia: Como a astrologia era usada na Mesopotâmia? Os mesopotâmios inventaram o zodíaco?

Como a astrologia era usada na Mesopotâmia?

Astrologia na antiga Mesopotâmiam, Historicamente, a antiga Mesopotâmia, Egito, Índia e China foram identificados como os berços da astrologia. Quando eles foram encontrados inicialmente, era por volta do segundo milênio aC, e eles viviam na era da Antiga Babilônia. Os sumérios estavam bem cientes da situação mais de mil anos antes de os romanos entrarem em cena. Seguindo os movimentos dos planetas, os astrólogos conferiam características e poderes divinos a eles como consequência de suas observações.

Cada planeta tinha seu próprio conjunto de deuses e deusas que estavam encarregados de diferentes aspectos da existência naquele mundo. As instruções dos astrólogos são que você deve orientar os governantes sobre como compreender os movimentos planetários e usá-los para prever o futuro.

A abordagem é baseada na adivinhação, que era uma característica proeminente da sociedade mesopotâmica na época de seu desenvolvimento… De acordo com as crenças religiosas mesopotâmicas, os deuses influenciavam o destino humano e governavam o planeta, e a adivinhação era empregada para contatá-los em um nível mais íntimo do que era possível anteriormente.

Nos tempos antigos, astronomia e astrologia eram consideradas uma e a mesma coisa, de acordo com a crença popular. As origens da astrologia moderna podem ser rastreadas até a antiga cidade de Babilônia. Originalmente, originou-se de um conceito religioso de que, uma vez que as estrelas estavam sob o controle dos deuses nos céus, elas poderiam revelar o futuro de alguém, bem como a noção de que os movimentos dos planetas e estrelas determinavam o destino de alguém neste mundo.

Os mesopotâmicos inventaram o zodíaco?

Para complementar suas observações astronômicas, os babilônios se basearam em mitos sobre constelações e astrologia desde o início, o que resultou no primeiro relato registrado dos 12 signos zodiacais.

Cada uma das doze constelações do zodíaco é representada por um dos doze signos do zodíaco, que juntos formam um círculo completo. Em sua forma mais básica, esse estilo de astrologia evoluiu da astrologia babilônica, que foi aprimorada pelos egípcios e gregos antes de ser aceita como um tipo de adivinhação pelos romanos.

Certos mitos babilônicos foram incorporados à mitologia grega e romana como fontes de inspiração, mas também tomaram algumas das histórias dos babilônios. ‘Astrologia’ e ‘astronomia’ são ambas derivadas da palavra grega para “estrela”, que está na raiz dos termos astrologia e astronomia.

Os zodíacos foram criados pelos neobabilônicos como resultado da palavra grega “círculo de animais”, que significa “círculo de animais”. À medida que o sol cruza o equador durante o ano, ele passa por 12 signos do zodíaco, cada um representando uma constelação, pela qual passa ao longo do ano enquanto atravessa o equador.

Aproximadamente 3000 aC, os mesopotâmios começaram a utilizar um calendário com meses e anos, mostrando que a Lua já estava sendo estudada naquela época.

Entre 600 aC e 100 dC, os astrônomos babilônicos registraram fenômenos lunares e planetários em seus diários de astronomia e literatura acompanhante, que ainda existem hoje. Técnicas como a previsão baseada em período, muitas vezes conhecida como previsão “Ano-objetivo”, foram empregadas para antecipar as ocorrências observadas.

Os astrônomos babilônicos desenvolveram a astronomia matemática por volta do final do século V aC para prever eventos lunares e planetários. Após o desenvolvimento da horoscopia e outros tipos de astrologia, eles começaram a utilizar o zodíaco e outros corpos celestes para prever eventos futuros na Terra ao mesmo tempo.

Horóscopos são criados quando o sol nasce no horizonte oriental e permanece lá por muitas horas. A ideia foi desenvolvida e polida ao longo do tempo. Foram aqueles que estavam interessados em medicina que começaram a utilizar os signos do zodíaco na tentativa de identificar em quais partes do corpo cada signo pode ter efeito.

Os 12 signos do zodíaco são Áries, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Libra, Escorpião, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes. Áries é o primeiro signo do zodíaco e Touro é o segundo. A constelação que está mais próxima do sol no momento do nascimento de uma pessoa determina o signo sob o qual ela nasceu.

Conclusão

Faz parte da civilização mesopotâmica há três milênios observar, conceituar, interpretar e antecipar a Lua e os planetas, bem como prever o futuro. Diversas regiões da Ásia, cada uma com seu conjunto único de crenças e tradições que se formaram ao longo do tempo, contribuíram com uma infinidade de conceitos inovadores. Inicialmente, o povo em geral acreditava neles como manifestações celestiais, que remontam ao século II.

Ao mesmo tempo, os antigos se interessavam pela Lua e pelos planetas como possíveis transmissores de mensagens divinas, que consideravam relacionadas.

Leia também:Astrologia 2023 Previsões, Previsão; Chamas Gêmeas Astrologia

Esta entrada también está disponible en: Deutsch (Alemão) Suomi (Finlandês) Français (Francês) Nederlands (Holandês) English (Inglês) Português Svenska (Sueco)

Etiquetas:
Share via
Copy link
Powered by Social Snap